Desconstruindo Crenças sobre Dinheiro e Valorização Pessoal

Hoje, vou partilhar contigo uma parte da minha Jornada, onde repensei totalmente a minha relação com o dinheiro e desmascarei crenças limitadoras, que podem afetar a forma como valorizamos o nosso trabalho.

Antigamente, repetia inúmeras vezes a frase “Fazer o que amo é o mais importante, o dinheiro não importa tanto.” No entanto, compreendi que, para continuar a fazer o que amo, é imperativo reconhecer o verdadeiro valor do meu trabalho. 

 O primeiro passo é alterar a nossa perspetiva interna sobre o dinheiro.  
Hoje, vejo o dinheiro como uma troca justa pelo valor que proporciono. 
 

“Faço o que gosto, o dinheiro não é importante”.  
Era a frase que dizia, quando a minha família apontava que o meu Negócio não estava a gerar rendimento. Até que percebi que isso não passava de uma crença. 
 

A verdade é que podemos e devemos ganhar dinheiro fazendo o que mais gostamos.  
No entanto, se não cobrarmos adequadamente pelo nosso trabalho, ou se o fizermos de forma insuficiente, não poderemos continuar a fazê-lo indefinidamente. 
 

Memoriza bem o que te vou dizer:  
Os nossos clientes valorizam o nosso trabalho na mesma proporção que nós nos valorizamos. 

Mas o primeiro passo começa em ti.  

Escreve tudo o que te vem à cabeça quando pensas na palavra “dinheiro”.  

Hoje, vejo o dinheiro desta forma: as pessoas fazem aquilo que gostam e são recompensadas por isso. Sei que às vezes pode parecer um mundo um pouco utópico, mas se todos nós víssemos o dinheiro desta forma e não como algo negativo, talvez não houvesse o medo de expressar que desejamos mais dinheiro. 

 

Espero que esta reflexão te ajude a desconstruir crenças limitadoras sobre dinheiro e a valorizares plenamente o teu trabalho.  

Desejo-te muito sucesso e crescimento contínuo para o teu negócio! 

Com amizade, 

Ana Cristina Rosa

Queres aprender mais?

Tem acesso a todos os conteúdos gratuitos de Ana Cristina Rosa

Mais artigos

Sê notificado a cada artigo novo!